UNIMES

Virtual

UNIMES

Presencial

Boleto

Online

O PORTAL DE CONTEÚDO DA UNIMES

NOTÍCIAS

UNIMES

#MEMÓRIA 17 de fevereiro de 1935: o ano que nascia Rosinha Viegas, fundadora da Unimes

17/02/2020

Educadora pioneira no Brasil, que criou a primeira faculdade de Educação Física do País, faria 85 anos nesta segunda-feira

A terceira segunda-feira do mês de fevereiro de 2020 é especial para todos nós da Universidade Metropolitana de Santos (Unimes). Em 17 de fevereiro, comemoramos o nascimento da fundadora da Unimes, a saudosa professora Rosinha Viegas, que completaria 85 anos hoje.

Pioneira e com uma visão de vanguarda, Rosinha Viegas deixou um dos legados mais relevantes na história da educação de Santos e do Brasil.

Nascida Rosinha Garcia Rocca em 17 de fevereiro de 1935, na cidade de Guariba, região nordeste de São Paulo, próxima à Ribeirão Preto, faleceu no dia 6 de junho de 2008 em Santos.

O magistério esteve presente em sua família desde muito cedo. Seu pai, Francisco Rocca, era considerado o primeiro professor de primário da cidade e já levava Rosinha para a sala de aula quando ainda sequer tinha atingido a idade escolar. Mas foram os esportes que a fizeram se destacar. Brincava de bets, uma espécie de jogo de taco, com os amigos do bairro, e chamava a atenção dos professores de educação física por seu bom desempenho nas competições de atletismo.

Outro aspecto que chamava a atenção era sua personalidade. Marcada pela ousadia e determinação, não titubeava lutar pelo o que queria. Depois de um acidente às margens do Rio Mogi-Guaçu, em que saiu ilesa por conseguir nadar contra a correnteza, decidiu cursar Educação Física em São Carlos. Recebeu a negativa de seu pai. Não a queria longe de casa, muito menos aceitava a filha optando por uma carreira voltada aos esportes. Entretanto, era seu maior sonho – e faria de tudo para alcançá-lo.

Para isso, liderou de corpo e alma logo que ingressou na Escola Superior de Educação Física de São Carlos. Engajada, participava dos desfiles cívicos e dos grêmios estudantis. Foi além: em 1957, conversou com Jânio Quadros, à época governador de São Paulo, para pleitear uma escola ginasial em Guariba. À época, só havia na cidade vizinha Jaboticabal.

E conseguiu o feito. Assim que se formou, tornou-se a primeira professora de educação física de Guariba, na escola que ficou batizada por “Escola Estadual José Pacífico”. Liderou grupos de ginástica para mulheres. Até que Guariba ficou pequena para os muitos sonhos dessa educadora, que estava apenas no início de sua trajetória profissional.

Prestou concurso público em 1959 e foi aprovada. Transferiu-se para Santos, onde trabalhou em nove escolas simultaneamente. Foi casada com Rubens Viegas, à época, investigador de polícia e ex-atleta do Esporte Clube Pinheiros.

Juntos, formaram uma parceria de amor e de cumplicidade também no trabalho, compartilhando afinidades também no magistério, afinal, Rubens também tinha experiência como professor de Latim. Algumas das escolas em que Rosinha lecionava não possuíam quadras ou campos adequados para a prática da educação física escolar. Resolveu que era momento de agir.

Buscou o aporte e a infraestrutura do Brasil Futebol Clube. Dividia as aulas com seu marido: enquanto lecionava ginástica para as meninas, Rubens se encarregava dos meninos. Incentivou seu próprio marido a regularizar a situação para atuar definitivamente como professor de educação física, quando saiu a “Lei de Estabilidade”, no governo Castelo Branco.

Ao longo do tempo, olhava as instalações do clube e se imaginava criando sua própria faculdade de Educação Física. À época, o Estado de São Paulo possuía apenas duas escolas superiores da área: a Escola Superior de Educação Física e Esportes da USP e a Escola Superior de Educação Física de São Carlos, onde se formou. Santos, uma cidade que já apresentava a vocação para o esporte, não tinha um centro de formação de professores dessa área, que prometia crescer.

Para viabilizar, provou mais uma vez que era capaz de conseguir mais um grande feito. Criou a Sociedade Civil de Educação Física de Santos em 1968, montou processo para enviar ao Conselho Federal de Educação (CFE) e conseguiu a autorização de funcionamento em 1969, realizando o primeiro vestibular no fim de março daquele ano.

Grandes turmas de Educação Física foram formadas desde então, com atletas de renome olímpico e internacional, como Edson Arantes do Nascimento, o Pelé, Leão, Carlos Alberto Torres, Negrelli, Geraldinho Nakasato, além da cantora Simone, que foi jogadora da Seleção Brasileira de Basquete.

Um dos fatos mais marcantes foi sua ida a Brasília em 1971 para conversar com o presidente mais rígido do regime militar, Emílio Garrastasu Médici. Levou uma comitiva, formada por professores e alunos. O encontro foi conquistado após a Copa de 70, graças a Pelé, que mantinha o carinho e a eterna gratidão por Rosinha, pelos estudos de nível superior oferecidos a ele e outros atletas. Saiu de lá com o reconhecimento do curso pelo MEC e o título de “faculdade”, até então, nunca antes utilizado por nenhuma escola superior de educação física.

Anos depois, acreditou que seu empreendimento educacional poderia ir além da Educação Física. Resolveu apostar e criar o primeiro curso de Comércio Exterior, numa região de destaque das atividades portuárias. Também criou a Faculdade de Ciências Humanas e Pedagogia, oferecendo licenciaturas para formação de professores. As aulas eram realizadas no antigo Colégio Coração de Maria, onde comprou o espaço. Nesse momento, criou o Centro de Estudos Unificados Bandeirante (CEUBAN)

Depois, outros cursos tradicionais, como o de Odontologia e Direito foram criados. Em 1996, Rosinha Viegas fundou a Universidade Metropolitana de Santos (UNIMES), instituição de ensino superior que possui mais de 120 cursos de graduação e pós-graduação, atualmente, administrada pelos filhos Rubens de Siqueira Viegas Junior (mantenedor administrativo) e Renata Garcia de Siqueira Viegas (reitora acadêmica).

Sua garra de Leoa e paixão pela Educação nunca foram passadas despercebidas por ninguém. Nem mesmo pelo Papa João Paulo II, que quebrou o protocolo para cumprimentá-la em um encontro com delegações de 50 pessoas, de diversos países, em Roma, na Itália.

Sua missão foi cumprida e é estendida até os dias atuais, nas comemorações dos 50 anos de UNIMES: investimento em educação superior de excelência, com os mais altos parâmetros exigidos pelo MEC, transformando a vida de pessoas em nível regional e nacional, com valores éticos e cidadãos.

Comentários
Fale conosco