UNIMES

Virtual

UNIMES

Presencial

Boleto

Online

O PORTAL DE CONTEÚDO DA UNIMES

NOTÍCIAS

EAD, Música, UNIMES

Aluna do 6º semestre de Música recebe honraria pela Sociedade Brasileira de Artes, Cultura e Ensino

29/10/2019

Monike Mangifeste, de 27 anos, foi condecorada pela medalha de Ordem do Mérito Cultural Carlos Gomes

Aluna do curso de licenciatura em Música EaD da Universidade Metropolitana de Santos (Unimes), Monike Mangifeste recebeu o título de Chanceler Internacional, ofertado pela Sociedade Brasileira de Artes, Cultura e Ensino (Sbace).

A comenda e medalha da Ordem do Mérito Cultural Carlos Gomes é reconhecida pela Prefeitura de Campinas e pelo Governo do Estado de São Paulo, com registro no Ministério da Cultura.

Aos 27 anos, Monike recebeu a maior distinção honorífica da ordem e da Sbace em um jantar de gala realizado na quinta-feira passada (24 de outubro), no Parque Jabaquara, em São Paulo.

A honraria cultua os valores morais e intelectuais das grandes personalidades do Brasil e de outros povos.

A artista cursa o último semestre do curso de Licenciatura em Música EaD pelo Pólo Guaçuí da Unimes. Ela destaca a importância da instituição graduação em suas conquistas, assim como do trabalho e atendimento oferecido pelo Polo Guaçuí.

“Só tenho a agradecer a todo apoio e dedicação que tenho recebido do Polo em Guaçuí e, em especial, da gestora Maria Nilza, o que, com certeza tem sido essencial para chegar a minhas conquistas”, afirma. “A Unimes tem sido muito importante e essencial nessa caminhada”, completa.

A gestora do Pólo Unimes de Guaçuí, a pedagoga Maria Nilza Ribeiro, está orgulhosa pela conquista da aluna que classifica como excelente. “A Monike é uma excelente aluna e uma pessoa maravilhosa que merece todas as conquistas que está alcançando, o que me deixa feliz e orgulhosa pela oportunidade de conviver com ela e fazer parte de sua formação e trajetória como profissional e como pessoa humana”, afirma a gestora.

A “prata da casa” iniciou seus estudos musicais desde cedo. Incentivada pelo pai, aprendeu a tocar violão popular aos 6 anos de idade. No Rio de Janeiro, participou da Orquestra Sinfônica de Campo Grande, sob regência do maestro Rafael Rocha, e, em 2006, iniciou os estudos de música no Instituto Villa Lobos (RJ), em saxofone, com o professor Luiz Medina, estruturação musical, com Alexandre Magalhães, prática vocal, com Wladimir Tourinho, e prática de conjunto, na Orquestra Villa Lobos, sob a regência de Júlio Cézar Barbosa.

Monike se registrou na Ordem dos Músicos do Brasil em 2009, como musicista profissional, habilitada em saxofone/bandolim popular e erudito. Participou de rodas de choro e grupos de seresta, festivais de música erudita – destaque para o Festival de Musica Antiga e Música Colonial Brasileira, em Juiz de Fora (MG), onde estudou violoncelo barroco com o professor João Guilherme de Figueiredo. Fez também cursos em Didática da Musicalização com a professora Carmem Meting Rocha.
Atualmente, trabalha como professora de Teoria Musical, no projeto social Musicando Alegre , no Espírito Santo, onde também exerce o cargo de saxofonista barítono, na Banda Sinfônica Lyra Carlos Gomes.

Desde 2014, é diretora artística do projeto Alegre na Esperança, mantido pela Paróquia Nossa Senhora da Penha de Alegre, atendendo a 250 crianças com curso de violão popular.

Em 2018, ela recebeu o titulo de Comendadora, também pela Sociedade Brasileira de Artes, Cultura e Ensino, e em 2019, a medalha Cinquentenário das Forças de Paz do Brasil, concedida pela Associação Brasileira das Forças Internacionais de Paz, por sua dedicação à preservação dos valores cívicos.

Comentários