Comissões de Direitos Humanos, Meio Ambiente e Diversidade Étnico-Racial em debate

12/11/2018

Reunião foi realizada nesta segunda-feira (12), avaliando as atividades já realizadas na Unimes

Formada por docentes de cursos de Ciências Humanas e da Saúde, as Comissões de Direitos Humanos, Meio Ambiente e Diversidade Étnico-Racial da Universidade Metropolitana de Santos (Unimes) se reuniram na manhã desta segunda-feira (12).

Foram pautados debates para atividades em 2019, de forma que integre o corpo docente e discente, com o objetivo de trabalhar três temáticas em prol da comunidade: Educação Ambiental, Estudo das Temáticas Afro-Brasileira e Indígena e Direitos Humanos.

EDUCAÇÃO AMBIENTAL/MEIO AMBIENTE
Para o docente de Odontologia, Dr. José Cássio Magalhães, que preside o eixo de Educação Ambiental, a meta é trabalhar, em especial, os aspectos relacionados a lixo nos espaços públicos e internos da Universidade.

"Objetivamos o tratamento de todo o processo do nosso lixo, preservação de nossos laboratórios e tudo aquilo que diz respeito ao que nossa comunidade produz de lixo. Acreditamos que o impacto deva ser minimizado na natureza e isso só vai acontecer com a educação. Enquanto universidade, acreditamos na reeducação, mas que precisa ser um ato conjunto, envolvendo também as autoridades e o terceiro setor", defendeu.

ESTUDOS DAS TEMÁTICAS AFRO-BRASILEIRA E INDÍGENA:
No eixo das questões Afro-Brasileiras e Indígenas, a professora Syntia Alves, docente do curso de História e coordenadora do curso de Ciências Sociais (modalidade EaD) é membro desta comissão e comentou sobre a temática.

No início dos anos 2000, a lei 10.639 foi promulgada para estipular a inclusão do conteúdo de História e Cultura Afro e Indígena nos componentes curriculares das escolas brasileiras. Para isso, a comissão da Unimes também prevê debates e atividades acerca destas questões.

A professora destaca a importância de uma consciência por parte dos alunos quanto ao acesso no ensino superior: apenas 7% da população nacional consegue estudar em uma Universidade, de acordo com dados do IBGE. Dessa porcentagem, pondera, ainda pode haver evasão - ou seja, nem todos irão se graduar. E uma minoria dos que se forma é composta por afrodescendentes e indígenas.

"Mas parece que, para os universitários, a população afro e a indígena não existe, ou que são minoria, mas eles precisam se atentar que, ao entrar no mercado de trabalho, eles vão lidar com etnias e culturas diferentes, famílias e histórias de vida diferentes e um passado histórico que muitas vezes é ignorado", comenta.

A docente apontou as influências das culturas afro e indígena no cotidiano do brasileiro. "A nossa própria língua, se considerarmos, se aproxima mais do Português falado em países africanos, como Moçambique e Angola. Se falarmos de culinária, são várias as influências. A feijoada representa muito bem isso. Na Medicina, esbarramos com o conhecimento científico e a sabedoria popular, com a influência das curandeiras, das ervas", explicou.

DIREITOS HUMANOS:
Professora do curso de Direito da Unimes e responsável pelo componente curricular de Direitos Humanos nesta graduação, Maria Edith Marques conceitua: "Eles protegem os direitos de cada indivíduo. É importante que as pessoas entendam isso, embora pareça ser muito óbvio". Para ela, muitas vezes o entendimento sobre Direitos Humanos é feito de maneira equivocada.

"No Brasil, principalmente, quando se falam em Direitos Humanos, todo mundo pede sua extinção, por acharem que se trata somente de defender os bandidos, e não é por aí", diz.

Essa interpretação equivocada, para a professora, precisa ser sanada. "Eles vão muito além disso, trata-se da garantia de direitos de maiorias e minorias, de todos nós. É importante lembrar que os Direitos Humanos de forma mundial surgiram após o término da Segunda Guerra Mundial, com a Declaração Universal dos Direitos Humanos promulgada pela Assembleia Geral da ONU", completou.

CONFIRA OS PRESIDENTES E MEMBROS DAS COMISSÕES:

Direitos Humanos
Presidente: Ramon Mateo Junior
Membros: Monica Paolilo Crescenzo Xavier de Souza, Elaine Cristina dos Santos Giovanini e Maria Candelária Volponi Moraes de Oliveira

Temáticas Afro-Brasileira e Indígena
Presidente: Maria Candelária Volponi Moraes de Oliveira
Membros: Abigail Malavassi, Gerson Tenório dos Santos, Regina Helena Tunes e Syntia Pereira Alves

Educação Ambiental
Presidente: José Cássio de Almeida Magalhães
Membros: Alfésio Luis Ferreira Braga, Luiz Alberto Amador Pereira, Eliane Marta Quinones Braz, Amaury Alipio Pimentel e Carlo Magenta Cunha



© Todos os Direitos Reservados Universidade Metropolitana de Santos - Política de Privacidade