Acessibilidade e inclusão: conheça o setor de Atendimento e Telefonia da Unimes

05/04/2019

Setor administrativo é formado por 10 colaboradores, sendo cinco deficientes visuais e dois com outras necessidades especiais

Zaine Lafaiete, de 24 anos, tem uma rotina bem dinâmica. Chega às 7h, em ponto, para começar a atender uma média de 80 a 100 ligações diárias recebidas na Unimes. O expediente termina às 13h, mas não para por aí: também se dedica aos esportes, treinando golbol quando pode durante a semana e, à noite, cursa Fisioterapia.

Ela é uma das 10 colaboradoras do Departamento de Atendimento e Telefonia da Universidade Metropolitana de Santos (Unimes). Deste setor, sete pessoas apresentam limitações motoras, cinco delas, possuem deficiência visual.

A ideia de contratar pessoas PCD em um único setor administrativo aconteceu em 2016. A analista de Recursos Humanos da Unimes, Nicoli Gisolfi, percebeu que muitas empresas contratavam esse público somente para cumprir a cota, prevista na Lei 8213/91, obrigando a contratação de deficientes visuais.

"A maioria das empresas não estavam dispostas a investir tempo para treinar e motivar constantemente essas pessoas. Durante o processo seletivo, alguns até me relataram que, nas experiências profissionais anteriores, eram alocados em funções muito simples, e passavam muito tempo ociosos, o que gerava um sentimento de ansiedade e frustração", contou.

Nicoli, portanto, resolveu fazer diferente. Preparou o ambiente para receber esse perfil de colaborador, de forma que pudesse atender às necessidades em função de suas limitações, sem prejudicar o andamento do trabalho.

Para isso, foi preciso instalar dois programas importantes para o trabalho desses profissionais: o NVDA e o DOSVOX, sistemas operacionais em que pessoas com deficiência visual possam utilizar um microcomputador comum (PC) e desempenhar uma série de tarefas.

As parcerias também foram importantes. Uma delas foi com o Lar das Moças Cegas, instituição responsável por profissionalizar pessoas com deficiência visual e ampliar as possibilidades no mercado de trabalho. "Eles se prontificaram a treinar nossos colaboradores e habilitá-los ao uso dos programas", comentou a analista.

A infraestrutura também precisou ser adaptada. O setor possui banheiro de fácil acesso e exclusivo a equipe. "Queremos promover a esses profissionais uma qualidade no trabalho, atendendo suas limitações e mantê-los sempre motivados. É importante ressaltar que também prezamos pela educação continuada destes profissionais, tanto que grande parte dessa equipe cursam nossas graduações com bolsa integral", concluiu.

"A Unimes é um lugar que me dá muitas oportunidades, inclusive, é o meu primeiro emprego com carteira assinada. Gosto muito de lidar com o público, de ajudar pessoas, mesmo que seja somente nas ligações", comentou Zaine.



© Todos os Direitos Reservados Universidade Metropolitana de Santos - Política de Privacidade